terça-feira, 21 de abril de 2015

ENTREVISTA QUE MEUS CLIENTES DERAM PARA O JORNAL "O ESTADO DE SÃO PAULO" SOBRE AVANÇO DE SÉRIE, POR DATA CORTE, NA EDUCAÇÃO INFANTIL


Disputa para avançar chega à educação infantil

Famílias também movem processos para adiantar filhos na pré-escola; Atibaia derrubou data-limite

20.04.2015 | 03:00
   
O Estado de S. Paulo

Irmãs, Petra e Sara entraram antes na escola
Irmãs, Petra e Sara entraram antes na escolaIrmãs, Petra e Sara entraram antes na escola
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

A disputa nos tribunais para a entrada em cada fase escolar chega até a educação infantil. Assim como no fundamental, há famílias que movem processos para filhos entrarem mais cedo na pré-escola. A regra do Conselho Estadual de Educação prevê a etapa para crianças que fazem 4 anos até 30 de junho.

A engenheira Débora Valente, de 35 anos, conseguiu, na semana passada, autorização da Justiça para matricular a filha Sara, de 3, já no 1.º ano da pré-escola em um colégio privado. A irmã mais velha, Petra, de 5, também já havia conseguido uma liminar, em fevereiro, para ingresso no fundamental. O avanço de ambas foi sugerido por uma psicopedagoga.

Segundo Débora, as duas têm desempenho acima da média e ficar na série anterior reduziria o interesse pela escola. “Não seria justo que impedíssemos ou retardássemos o desenvolvimento delas”, argumenta. “Tentamos avaliar todas as questões envolvidas: acadêmicas, psicológicas, de convívio e até a possibilidade de ela ficar estigmatizada na escola”, diz.

Francisco Carbonari, presidente do Conselho Estadual de Educação, acredita que a entrada antecipada na educação infantil traz prejuízos à criança no futuro. “Ela terá problemas para entrar 1.º ano do fundamental, pois não terá a idade mínima.” Quando chegar nessa fase, Sara terá de repetir a série ou apelar novamente à Justiça.

Sem cortes. Em Atibaia, a 66 quilômetros de São Paulo, a Justiça derrubou a data-limite para todas as crianças. Nos colégios privados e públicos do município, alunos nascidos em qualquer época do ano podem ser matriculados no fundamental. A mudança atendeu a pedido do Ministério Público Estadual. De acordo com a promotoria, a regra desrespeitava a individualidade do aluno.

A Secretaria Estadual de Educação informou que respeita a decisão judicial na cidade. No restante do Estado, vale o parâmetro de 30 de junho, previsto pelo conselho paulista.

MEUS COMENTÁRIOS :

Os pais que protagonizam esta reportagem são meus clientes. Uma das crianças tem altas habilidades e a outra não. Ambas são muito capazes e a filha mais velha, que foi avançada de série em Março já se adaptou muito bem na nova série e está bem motivada e feliz !

Em relação comentário do Presidente do Conselho de Educação de São Paulo (CEESP), sr. Francisco Carbonari,  que acredita que a entrada antecipada na educação infantil traz prejuízos à criança no futuro, pois ela terá problemas para entrar 1.º ano do fundamental, pois não terá a idade mínima e  que, quando chegar nessa fase, Sara terá de repetir a série ou apelar novamente à Justiça, sinto muito informar, que ele está bem desinformado a este respeito. Ao menos, em todos os meus mandados de segurança, minhas liminares e os meus pedidos, compreendem e envolvem o pedido para que a liminar (que depois será confirmada por sentença) valha para toda a vida escolar do aluno, enquanto ele for aprovado e promovido nas próximas série escolares, de forma que meus clientes nunca tiveram problema algum em serem matriculados nas séries seguintes, nem mesmo, os clientes e alunos que entraram com liminares ainda na educação infantil, tal como ocorreu num destes casos ilustrado por esta reportagem !


Considero importante passar esta tranquilidade ao público e aos meus leitores, para que não deixem de tomar uma decisão tão importante e brigar pelos direitos de seus filhos capazes e que podem ficar entediados se cursarem uma série aquém de sua capacidade, de que as crianças não terão problemas para efetivar a matrícula de seus filhos, nas próximas séries, no futuro ! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário