sábado, 25 de maio de 2013

Vejam que interessante esta parte do texto do livro de Tony Attwood, que encontrei em uma das minhas pesquisas sobre Asperger : "




Vejam que interessante esta parte do texto do livro de Tony Attwood, que encontrei em uma das minhas pesquisas sobre Asperger : " Toma-se nota do histórico da gravidez, nascimento e infância. É importante ressaltar que nenhuma das características para o diagnóstico de Asperger são exclusivas dessa síndrome, e é muito difícil encontrar um indivíduo que apresente todas elas. Cada criança é única em termos de manifestação dos sintomas em cada área”.



Os portadores de Síndrome de Asperger interpretam o mundo de um modo diferente. Eles nos acham estranhos e desconcertantes. Por que não falamos o que pensamos? Por que falamos tantas coisas que realmente não pensamos? Por que fazemos tantos comentários triviais que não significam nada de fato? Por que nos entediamos quando uma pessoa com Asperger nos fala com detalhes a respeito de tabelas de horários, placas de carros, diferentes tipos de cenouras ou o movimento dos planetas? Como toleramos a confusão de sensações que nos são trazidas por luzes, sons, toques e cheiros, sem nos incomodarmos? Por que nos importamos com hierarquia social – por que não tratamos todo mundo de igual para igual? Por que temos relacionamentos emocionais tão complicados? Por que enviamos e recebemos tantos sinais sociais e como conseguimos entendê-los? Acima de tudo, por que somos tão ilógicos, se comparados aos portadores de SA?





A verdade é porque os portadores de SA são a minoria. O modo como percebem o mundo faz sentido para eles, e alguns aspectos são realmente admiráveis, mas freqüentemente os coloca em conflito com o modo convencional (maioria) de pensar, sentir e se comportar. Eles não conseguem mudar, e muitos nem querem. No entanto, eles precisam de ajuda para se adaptarem ao mundo e utilizarem suas habilidades extraordinárias de um modo construtivo, para desenvolverem seus interesses especiais (fixações) sem entrarem em conflito com os outros, e para atingirem independência quando adultos e construírem relacionamentos sociais positivos.




(...)

  
Os pais explicam como seus filhos permanecem isolados na escola, possuindo poucos amigos. Eles parecem não entender a linguagem corporal, e muitas vezes fazem comentários que são verdadeiros, porém bastante constrangedores. Quando espera com seu pai na fila do supermercado o adolescente exclama “Como ela é grande!” Se o pai o repreende dizendo que não se deve dizer coisas desse tipo, ele responde “Mas ela É grande!” . Os sinais que mostram o constrangimento do pai logo depois do primeiro comentário não são reconhecidos, nem tão pouco a conseqüência do que foi dito nos sentimentos da pessoa que estava sendo alvo dos comentários. A criança com SA fica confusa e não entende por que foi repreendida se o que ela falou era a verdade.




Com freqüência há um histórico de intensa fascinação por um tema especial como transportes, animais ou ciências. Estes interesses vêm e vão mas dominam o tempo livre da criança bem como sua conversação. Normalmente a criança possui uma interpretação literal de figuras de linguagem como “O gato comeu sua língua”, possui um linguajar preciso ou pedante. É como se você estivesse falando com um pequeno dicionário ambulante. Na escola os professores notam um desnível no perfil de habilidades. A criança pode apresentar uma memória prodigiosa, concentração extraordinária quando seu tópico de interesse é abordado e uma metodologia original para resolução de problemas. Em contraste, pode haver falta de motivação e atenção para atividades que captam a atenção de todas as outras crianças, avaliações que indicam dificuldades específicas de aprendizagem e desajeitamento motor. Há uma preocupação pelo fato de a criança ser socialmente distante dos colegas e de ser alvo de gozações. Então, pais e professores concordam que essa criança que parece normal e possui habilidades intelectuais normais, por alguma razão inexplicável parece não se encaixar no grupo ou agir de acordo com outras crianças da mesma idade.




(...)


Para o médico, é necessário considerar diagnósticos alternativos e explicações. Falta de interação social pode ser uma conseqüência de uma desordem de linguagem. A Desordem Semântico Pragmática da Linguagem tem muitas características em comum com Asperger. Crianças com problemas de desenvolvimento e aprendizagem podem apresentar padrões de comportamento social incomuns, e deve-se considerar se o perfil de habilidades e comportamento é condizente com seu nível de desenvolvimento. Crianças com um QI acima da média podem achar entediantes as brincadeiras de outras crianças da mesma idade. Podem também adquirir grandes conhecimentos em determinados assuntos, no entanto, seu perfil social e lingüístico estará dentro da normalidade, o que não ocorre com as crianças com SA. Algumas crianças com Déficit de Atenção, possuem também características indicativas de Asperger, mas ambas são desordens distintas, e uma criança pode apresentar as duas condições. Deve-se examinar com bastante atenção para distingui-las e deve-se levar em consideração habilidades pessoais e características de crianças naturalmente tímidas, introvertidas ou ansiosas."

Este livro contém uma descrição e análise das características incomuns dos Aspergers, e estratégias que podem ajudar a diminuir aquelas mais marcantes. Há várias citações de pessoas com SA, bem como sua visão do mundo.



Tony Attwood



Se alguém estiver interessado em ler a fonte do texto, vale à pena : http://inclusaobrasil.blogspot.com.br/2009/02/sindrome-de-asperger-um-guia-para-pais.html

Um comentário:

  1. Sobre as perguntas no começo do artigo, o exemplo do supermecado e do gato, é verdade. Por exemplo já ouvi milhoes de vezes a frase, "o gato comeu sua lingua", mas vem a tona na minha mente a tradução literal, depois de alguns segundos que meu cerebro conecta com a conotacao usual, sendo que nos cerebros dos neurotipicos e a conotacao social que vem a tona primeiro.

    ResponderExcluir