quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Mãe de Crianças Superdotadas e os seus membros do Grupo do Facebook, na mídia, mais uma vez



Mãe de Crianças Superdotadas e os seus membros do Grupo do Facebook, saem, na mídia, mais uma vez.



Cliquem no link abaixo e vejam a entrevista concedida por mim, na qualidade de assessora jurídica do Núcleo Paulista de Atenção à Superdotação (NPAS), advogada especializada na área de Educação e mãe de crianças superdotadas.



A psicóloga do Núcleo Paulista de Atenção à Superdotação (NPAS), Maria Helena Oliveira esclareceu, suscintamente, como é feita a identificação e deu alguns esclarecimentos sobre os testes para esta identificação.



A também membro do grupo e mãe de duas crianças superdotadas,  Andréa Guilhem Miguel, contou um pouco da sua história e de seus dois filhos.



Faço apenas um pequeno aparte, como assessora jurídica do Núcleo Paulista de Atenção à Superdotação, de que na parte da reportagem, em que fala que “Pular de séries nem sempre é possível”, o que a repórter quis dizer é que, apesar da proposta pedagógica de atendimento aos alunos superdotados acadêmicos de aceleração (avanço) de série estar prevista em lei, na prática, a grande maioria dos pais de crianças superdotadas que têm a indicação pelas escolas de seus filhos ou pelos avaliadores destas crianças, a Secretaria da Educação tem oferecido muita resistência para que isto seja aceito e efetivado.



Porém a própria Secretaria da Educação do Estado de São Paulo deliberou neste ano de 2.012 a Resolução de numero 81, que Dispõe sobre o processo de aceleração de estudos para alunos com altas habilidades/superdotação na rede estadual de ensino e dá providências correlatas. Só não tive notícias, ainda, como esta resolução tem sido aceita, na prática, pelas escolas, diretorias de ensino, Conselho de Educação e pela própria Secretaria da Educação.



Nos demais Estados Brasileiros, a política de aceleração (avanço) de série também tem encontrado suas resistência para implantação e efetivação em prol destes alunos.





A boa notícia é que eu, como advogada atuante nesta área, já consegui descobrir um caminho jurídico para que as crianças superdotadas façam jus à esta proposta pedagógica e garantem a regularização de suas matrículas perante a Secretaria da Educação, em suas séries avançadas.




Para ler a reportagem, que recebeu o título de "Megamente em Ação ", clique aqui, netes links abaixo e entrem na reportagem : 


Nenhum comentário:

Postar um comentário