sábado, 14 de maio de 2011

Discussão interessante entre as mães de crianças superdotadas e a importância da Educação Infantil, na Comunidade do Orkut, da qual sou proprietária


Estes dias, rolou uma discussão bem interessante, na comunidade do Orkut, da qual sou proprietária, "Pais de Superdotado", envolvendo a importância da Educação Infantil para as crianças superdotadas. Isto porque, a maioria das crianças superdotadas começam a ler (a se alfabetizar) e a escrever bem mais cedo do que os seus pares e, nós, pais de crianças superdotadas, tendemos a questionar a importância da Educação Infantil, aos nossos filhos. Se eles de fato precisam ou não cursá-la .. para que ela serviria para os nossos filhos, etc ...


Afinal de contas, eles já lêem, escrevem e falam tão bem, mostram interesse e se aprofundam em assuntos tão difíceis para a sua idade, têm interesses tão distintos dos de seus pares, que achamos que os nossos filhos estão perdendo tempo, na Educação Infantil.


No meio de uma discussão sobre outro assunto, surgiu este debate, que eu achei muito interessante e por isto, resolvi postar, aqui no meu blog. Acho que ele vai ajudar bastante pais com este mesmo tipo de questionamento (sobre a importância da educação infantil para crianças superdotadas ...) :


A (boa) discussão começou da seguinte forma :


Marta disse : “Ehhh K. !!!! Como é legal ser mãe nessas horas, parece que vamos estourar de orgulho né ???? O J., ontem, teve aula da guerra entre a China e o Tibet (eu acho um absurdo crianças c/sete anos aprenderem sobre isso, mas enfim p/ o Junior foi sopa no mel he he...). A hora que a professora perguntou se alguém já havia ouvido falar no Tibet, o J. levantou e disse o Tibet é lugar onde existe um monte das montanhas mais altas do mundo, um lugar CHAMADO Himalaia, inclusive o monte Everest, e disse que a China entrou lá sem ordem e agora tá se achando a dona do pedaço, mas os tibetanos não gostam nada, nada da idéia, por isso que eles brigam tanto. Ele me contando que a classe ficou em silencio mas depois romperem em um grande, “AÍ J. !!!! UHUUUÚ”.A professsora o parabenizou e ele veio me contar todo feliz”.


Eu disse : “Realmente, o J. arrasou !!! Tb acho que estas escolas estão se precipitando muito ! Imagine que a minha filha, estes dias, estava estudando para a prova de ciências. Ela está na nova sexta série, antiga quinta. Fomos ver a matéria e era princípios e conceitos básicos da física .. gravidade, força gravitacional, etc.. achei um absurdo uma criança da quinta série (sexto ano) estudar isto tão cedo !!!”


P.S : O Rafa tb adora o Monte Everest ... Outro dia fez uma Wikipedia para saber algumas coisas sobre o Homem das Neves, que morou no Everest... kkkk ...”.


Marta disse : “Mas o J. sabe dessas coisas por causa abominável homem das neves e a guerra ele viu algo na tv. Aí, eu expliquei numa linguagem simples. O resto é a famosa memória não perde nada”.


M. disse : Exagero mesmo ! Daqui a pouco vão começar a cobrar das crianças de dois anos a leitura e escrita!!! Rsrsrs ... Mesmo sabendo que eles têm "sede de saber" não é preciso antecipar tanto determinados conteúdos, ao menos que estes estejam contextualizados com outros e a turma "peça" esse tipo de aprofundamento... Por outro lado, se o professor não ousar de vez em quando, não vai saber até onde eles podem chegar... As crianças nos surpreendem a cada dia !!!!!!!!!!!!!!!!!! Como disse o L. no sábado para o pai “ Só pq o pai disse que seria IMPOSSÍVEL levar a vovó onde ela queria ir : " Pai, nada é impossível para as pessoas !!!".



Marta disse : Na escola do J. eles misturam conteúdos ,por exemplo usam geografia pois estão aprendendo sobre todos tipos de paisagens do mundo(deserto, praias, gelo, florestas etc ...) E ÉTICA,ESTAO APRENDENDO SOBRE INTOLERANCIA.ENTAO PEGARAM A PAISAGEM DO TIBET COM GUERRA E SAIU ESSA AULA. Eu acho até válida a intenção, só acho que 7 ou 8 anos é muita pouca idade p/ absorver tudo isso”.



Eu disse : Pelo que vc me conta, vejo que a escola do J. tem os mesmos princípios e conceitos que a escola dos meus filhos, na forma de dar o conteúdo.. tb rola este tipo de coisas, lá.. mas, concordo com vc, que é muito cedo para crianças desta idade absorver este tipo de informação.. mais ainda, se formos pensar que a grande maioria das crianças não tem o mesmo tipo de inteligência que os nossos filhos.. então.. imaginem como não deve ser difícil para eles compreenderem uma informação como esta ? “


K. disse : “Ai ... Vocês falam do conteúdo além e a minha queixa é sobre o baixo contexto de conteúdos. O L. falou pra Meire ( do CAP) que ele não gosta de cortar e colar. Por isso não gosta da escola. rrsrsr.


Ele hoje estava pesquisando sobre hidrogênio. ai ai. Posso com isso ?



Marta disse : “k., vou passar p/ vc o que aconteceu com J., ele nuca gostou de escola infantil e eu por ignorância também achava completamente dispensável, já que em matéria de conteúdo o júnior estava anos na frente das outras crianças, resultado ele só passou a cursar uma escola regular no primeiro ano. Ahhh se arrependimento matasse ,eu já tinha ido dessa p/ melhor rs...pois o que eles aprendem na educação infantil o que menos importa é o conteúdo. eles aprendem a se virar sozinhos, eles aprendem a resolver problemas diversos do cotidiano, tipo como comprar um lanche sozinhos, como não se deixar abusar por crianças mais "espertas" e mais velhas e muitas outras situações que surgem e eles não tem a mãe p/ resolver. sem contar as brincadeiras são aulas de socialização importantíssimas. recortar e colar desenvolve toda a coordenação motora e muito, muito mais. Resultado : o J. entrou com um conteúdo pedagógico maravilhoso e zero de vivencia cotidiana escolar. Passou o ano inteiro tentando pegar esse ritmo. Então saiba que o L. pode não estar aprendendo nada do que ele gosta na escola ,mas está aprendendo sobreviver nela”.


Marta disse : “Vc está certíssima ! Primeiro que a educação infantil é completamente diferente do ensino fundamental. Depois que, o importante e a prioridade, na educação infantil são aprender a brincar, sociabilizar, treinar a coordenação motora, aprender a desenhar, cortar, pintar e, também tem a parte pedagógica. Mas, por outro lado, entendo como o Luca deve se sentir entediado com a parte pedagógica. Por isto é que, no infantil, a idéia do enriquecimento feito em sala de aula é ótima, se isto fosse possível e deixar a aceleração de série para quando as crianças forem para o fundamental. Meus dois filhos fizeram todo o infantil”.


L. disse : “Notem nosso caso ... Sentimos a falta que a educação infantil fez pro E., como vocês sabem ele já está com dez anos, entrou na primeira série, não cursou a segunda e a consequência foi um certo atraso motor. Ele tem uma letra digamos... não muito bonita, (inclusive no ano passado e no anterior a queixa das professoras era a mesma) , ainda tem um pouco de dificuldade para colorir e muita para recortar, não amarra o tênis sem auxílio e aprendeu a andar de bicicleta porque fez um combinado com a orientadora da escola. Registrei porque achei importante que os pais dos mais novinhos tenham um cuidado especial com essa parte, pois no nosso caso achávamos tão encantador aquele "toquinho de gente" lendo, questionando... e tão feliz com tantas descobertas, que não nos preocupávamos com a coordenação motora dele”.


Eu disse :Muito oportuno e interessante o seu relato. Meu filho tb tem uma letra feia, e desenha mal. Mas, no resto está ok, em termos de coordenação motora. Mas, isto o que acontece com o seu e o meu filho é a tal da assincronia. Achei muito legal vc chamar a atenção dos pais com crianças superdotadas novinhas, que podem ficar tão impressionados com as habilidades de leitura de seus filhos tão precoces, que às vezes se esquecem de trabalhar a parte motora, o social e o emociona, que são tão importantes quanto o intelectual (pedagógico)”.



Marta disse : Acreditem, eu passei por isso. Agora está tudo em ordem, mas o Júnior passou maus pedaços no primeiro ano. Eu vou ser sincera ,na parte de conteúdo pedagógico eles sempre serão diferenciados, então temos que nos preocupar mais aonde estão problemas do que as habilidades. Lógico oferecendo estímulos adequados, mas ainda acho que proporcionar estímulos é muito mais fácil do que equilibrar as partes em defasagem”.


K. disse : “Com certeza. Eu sempre apostei na ed. infantil. Por isso não me manifestei pra acelerá-lo nessa fase.


Acredito sim, que toda maturidade que ele precisa ganhar pra ichegar ao ensino fundamental é agora que ele vai conquistar.



Entretanto, penso que pelo fato de se ter crianças PAH/S ou dislexas, ou com DOWN e etc... Deveria-se adequar o ensino para todas elas. Tratar a questão motricidade com mais afinco, (por conta da assincronia), e trabalhar também com os interesse da criança que seria de grande valia para toda a escola e/ou comunidade. Por exemplo, uma criança com interesses em números, faria-se um projeto onde essa criança se envolvesse e transmitisse o conhecimento dela para outras. No caso da motricidade onde alguns deles tem "dificuldades" faria-se um projeto onde aquele coleguinha que é mais ágil passasse o conhecimento dele para os outros.


Então acredito que o ensino infantil é de suma importância. O que questiono muitas vezes é a forma que se trabalha tratando cada indíviduo de forma igual, e sabemos que cada um tem um potencial diferenciado. Se assim fosse nossas salas da ed. infantil seria muito mais aproveitada no contexto intelectual e todos ganhariam com isso.


Acho que o toque que a colega L. deu sobre a importância da Educação Infantil, na vida destas crianças superdotadas é bem válido.


E vocês .. acham a Educação Infantil necessária às crianças superdotadas ?

2 comentários:

  1. Acho importante para qualquer criança, pela socialização. Seja cursar os 3 anos da educação infantil e maternal, ou apenas 1, o importante é ter esse contato com a escola antes que ela vire uma coisa mais séria. Eu sei que a maioria dos superdotados até gosta dessa questão de fazer exercícios e provas, mas é importante ter uma momento de preparação p então entrar nessa fase.

    ResponderExcluir
  2. Muitas vezes, nem sempre. Somar, subtrair, multiplicar e divir é muito pouco para estas crianças... Mas sim, Matriz de Vandermonde, funções trigonométricas, logarítmos, matrizes, equações e cálculos que só os engenheiros, químicos, matemáticos e etc., podem resolver e resolvem rapidinho, em poucos minutos.

    Assuntos extremamente complexos são normais para ele, que tem um dom nativo para isso.

    ResponderExcluir