quinta-feira, 16 de março de 2017

Jovem conquista prêmio e agora ajuda crianças a escrever cartas em inglês


ANA ESTELA DE SOUSA PINTO
DE SÃO PAULO

15/03/2017 02h00

Este menino tem todo perfil de superdotado. Vocês não acham ? 

Resultado de imagem para Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/03/1864980-autor-de-carta-premiada-ajuda-criancas-brasileiras-a-se-corresponder-com-gana-e-india.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.

Desde que Leonardo fez dez anos, era ele quem lia histórias para sua mãe na hora de dormir, e não o inverso. Começou com um capítulo de Monteiro Lobato, virou "Senhor dos Anéis" e depois Percy Jackson. Um dia Leonardo achou nas prateleiras da mãe, Andréia, os policiais de Agatha Christie e Sherlock Holmes e não parou mais.

Aos 15 anos de idade, ganhou o primeiro lugar do país em concurso de cartas promovido pelos Correios e a medalha de bronze na etapa internacional, organizada pela União Postal Universal. Na disputa, conheceu uma rede mundial que usa cartas em inglês para promover o aprendizado em 90 países, a Letters for Learning.

Montou uma turma na escola em que estudava, a estadual Carlos  Drummond de Andrade, na periferia de Ji Paraná (interior de Rondônia) e acompanha 12 garotos a partir dos 11 anos de idade que se correspondem com alunos da ganenses do projeto Teach On The Beach e com estudantes do UWC Mahindra College, de Nova Delhi, Índia.

Neste ano, as conexões já foram ampliadas para os Estados Unidos algumas cartas já começaram a chegar –e os planos são de chegarem no ano que vem aos Emirados Árabes Unidos. "O mundo em que quero crescer depende de mim. Passa pela minha mão, pelo meu suor, pela minha mente", escreve num trecho da carta que foi premiada.

BRASIL E VICE

O prêmio no concurso de cartas de 2015 não foi o primeiro nem de Leonardo Silva Brito, nem de sua escola, nem do Brasil. O país é o Vice líder dos concursos da UPU, com 3 medalhas de ouro, 2 de prata e 2 de bronze.

A China, primeira colocada, tem 5 medalhas de ouro, 3 de prata e 1 de bronze. Em sua 46ª edição, a premiação recebe até o dia 17 de março inscrições de estudantes da rede pública e privada de ensino com até 15 anos.

No Brasil, o júri tem representantes dos Correios, ministérios das Comunicações e da Educação, Universidade de Brasília e Unesco. A escola de Leonardo deve deve ter vários inscritos, diz o diretor Celso Silvério Belchior, 48. "Participar é para nós uma estratégia de aprendizagem", afirma ele.

A Carlos Drummond de Andrade tem 680 alunos (do 3º ano do Fundamental ao 3º do Médio), 20 professores, 2 bronzes na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas e o 1º lugar em concurso de curtas metragens do Ministério Público.

Neste ano, já foi finalista em provas nacionais de astronomia e de física.

SE ELE PODE, EU POSSO

Paranaense, Belchior está em Rondônia há 36 anos, dos quais 28 na escola Carlos Drummond. "Enquanto ninguém me mandar embora, eu vou ficando. Por agora, ainda pedem que eu fique."

Ao longo desse tempo, casos de violência e brigas de gangue foram se reduzindo, até praticamente desaparecerem. "Se acontece, a gente chama os envolvidos e conversa. Até na rua a gente corrige os alunos".

Nos últimos dez anos, diz ele, a equipe começou a incentivar as inscrições e cobrar resultados. "Agora mesmo, acabei de inscrever 100% dos meus alunos, do sexto ano para cima, nas Olimpíadas de Matemática", afirma.

Os resultados positivos criam e alimentam um ciclo virtuoso, segundo Belchior. As premiações são feitas em cerimônias especiais e, na sua avaliação, aumentam a confiança dos alunos todos. "Eles começam a pensar 'se meu amigo ganhou, eu também consigo'."

"Meu maior prêmio foi ver o interesse dos colegas aumentando na escola", diz Leonardo. Aos 17 anos, recém aprovado em engenharia
mecatrônica, na Universidade Federal de Uberlândia (MG), e no curso de direito, na de Rondônia, ele sonha um dia escrever o próprio livro.

Enquanto isso, passou a seu irmão, Lucas, 13, a tarefa de ler para a família.

VEJA QUEM JÁ VENCEU O CONCURSO

1972 Sergio Roberto Fuchs da Silva. Foi vencedor mundial da primeira edição do concurso.

1988 Andréa Guimarães de Oliveira. Vencedora mundial do Concurso Internacional de Composições Epistolares para os Jovens. Escreveu o livro A viagem de uma carta, publicado pela RHJ.

2011 Escola Municipal Pingo de Gente (interior da Bahia). Em 2012, ficou entre as oito melhores da Bahia no Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (Ideb), divulgado pelo MEC. Bateu a meta do Ministério da Educação para 2021.

2012 Escola Maria Carvalho (interior da Bahia). Mantida pela Fundação José Carvalho.

2013 Escola Estadual Tomé Francisco da Silva (sertão de Pernambuco). Vencedora do prêmio Gestão Escolar 2012 (premiação criada pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

2014 Colégio Conexão Aquarela ( Macapá, AP). Única escola particular vendedora desde 2011.

2015 EEEFM Carlos Drummond de Andrade (Ji Paraná, interior de Rondônia).
Em 2011, ganhou 2 medalhas de bronze da Obmep (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas) na categoria aluno e duas outras premiações para a escola e professora. 1º lugar no concurso de vídeo de curta-metragem do Ministério Público. Leonardo Silva Brito foi 1º lugar em concurso de redação do TER/RO (2010), 1° lugar concurso de redação intercâmbio cultural Brasil EUA, 1° lugar nacional no 6° Concurso de Desenho e Redação da CGU (Coordenadoria Geral da União), prêmio Jovens Fora de Série da Fundação Estudar/2015, representante de Rondônia no PJB Parlamento Jovem Brasileiro 2015 e finalista da Obrac Olimpíada Brasileira de Cartografia/2015.
2016 Escola Professor Jonatas Pontes Athias (Porto Trombetas, interior do Pará). Escola mantida pela Fundação Vale dos Trombetas.

A edição de 2017 tem inscrições abertas até 17 de março

Nenhum comentário:

Postar um comentário