domingo, 9 de agosto de 2015

Enem 2014 por escola: veja o que as escolas 'top' têm em comum

Resultado de imagem para enem 2014 

O G1 comparou os dados das 20 melhores escolas com a média nacional.


Colégios são privados, pequenos e têm alto nível socioeconômico
.

Ana Carolina Moreno
Do G1, em São Paulo

As maiores notas das escolas brasileiras na edição 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), divulgadas nesta quarta-feira (5) pelo governo federal, não são muito distintas das edições anteriores. Das 20 melhores escolas, segundo a média aritmética das provas objetivas do Enem 2014, 16 já estavam no top 20 na edição de 2013. Em geral, são escolas pequenas, com estudantes de nível socioeconômico muito alto e professores qualificados. Neste ano, 100% delas são particulares (no ano passado, uma era federal). Para chegar ao topo dessa concorrida lista, porém, muitas delas acabam selecionando os alunos, e mantendo apenas os de maior rendimento, garantindo notas altas na prova do MEC.

Preocupado com a distorção no ranqueamento das escolas segundo a nota do Enem, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) deixou de calcular a nota média de cada instituição. No balanço divulgado nesta quarta, 15.640 tiveram as notas por prova divulgadas. O critério para figurar na lista é ter mais da metade dos formandos do ensino médio participando das provas.

O G1 calculou a média aritmética das provas objetivas dos colégios da edição de 2014. Segundo esse levantamento, apenas 22 escolas no Brasil têm nota acima de 700 pontos neste quesito, e só uma delas é pública (o Instituto Federal do Espírito Santo, em Vitória, na 22ª posição). Veja abaixo o que têm em comum as 20 escolas que conseguiram chegar às médias mais altas nas provas objetivas:

Média acima de 700 pontos

Enquanto a média nacional é de 517,60 pontos, a nota média das 20 escolas com pontuação mais alta sobe para 717,60. Já considerando a nota da redação, que não usa a mesma metodologia de correção, e por isso não figura na média aritmética das provas objetivas, a diferença entre as 20 melhores escolas e a média brasileira é ainda maior: considerando todas as 15.640 escolas, a nota média na redação do Enem 2014 foi 515,40.

Já olhando apenas para as 20 escolas com média mais alta nas provas objetivas, a nota da redação sobe para 794,82 (a nota máxima é 1.000).

Algumas das escolas também são redes de ensino, e mantêm mais de um colégio. Segundo o cálculo aritmético feito pelo G1, com base nas notas das quatro provas objetivas (linguagens, matemática, ciências humanas e ciência da natureza), a escola com a média geral mais alta do Brasil no Enem 2014 foi o Colégio Objetivo Integrado, de São Paulo. No Integrado, 42 dos 43 alunos prestaram o Enem. A escola já havia ocupado a mesma posição em 2013. Já outro estabelecimento da mesma rede, e que fica no mesmo endereço da escola com a maior nota do Brasil, ficou na posição 608. Uma unidade do Objetivo Integrado em Mogi das Cruzes (SP), ficou na décima colocação.

Poucos alunos

A média nacional de alunos por escola, na lista divulgada pelo Inep, é 88, 50% mais alta que a lista de 20 escolas com a maior média aritmética das provas objetivas. Considerando apenas estes colégios, a média cai para 66 alunos por escola. Só três destas 20 escolas têm mais alunos que a média nacional.

Seleção de alunos

Pela primeira vez, o Inep divulgou, junto com a nota das provas do Enem, o índice de permanência dos estudantes nas escolas. Esse indicador pretende mostrar se os estudantes matriculados na escola e que fizeram o Enem 2014 estudaram naquela escola durante todo o ensino médio. Considerando as dez notas mais altas, os dados mostram que em metade das escolas menos de um quinto dos alunos do terceiro ano do ensino médio eram antigos, ou seja, estudaram naquele colégio durante todo o ensino médio.

Isso quer dizer que pelo menos 80% fizeram os dois primeiros anos em outras instituições. Segundo o presidente do Inep, Chico Soares, o fato de tantos estudantes serem selecionados para cursar o terceiro ano naquela escola pode causar equívocos, já que o rendimento deles no Enem 2014 não é apenas fruto da educação recebida em apenas uma escola. "Essa informação é importante para que a sociedade conheça quais são as escolas que realmente ajudam seus alunos a melhorarem, que oferecem educação de qualidade durante todo o ensino médio, e quais são aquelas que, simplesmente, selecionam alguns para cursarem apenas o terceiro ano", disse ele.

Professores qualificados

Entre as escolas no topo da lista, a cada quatro professores contratados, três, em média, têm a formação adequada, segundo a lei (73% do total). Os dados foram coletados pelo Censo Escolar da Educação Básica e, segundo o Inep, quanto maior o número de professores com a formação específica da disciplina que leciona (diploma de licenciatura), melhor é o desempenho dos estudantes.

Mais uma vez, o topo da lista tem índices melhores que a média nacional: segundo os dados, entre as 15.640 escolas, a média de professores com a formação adequada cai para 61%.

Estudantes ricos

O nível socioeconômico dos estudantes foi divulgado pelo segundo ano consecutivo no resultado do Enem 2014 por escola. Ele mede o nível socioeconômico das famílias dos alunos de cada escola. O governo federal divide os alunos e as escolas de acordo com sete níveis socioeconômicos diferentes. Mais uma vez, quase todas as escolas no "top 20" têm o indicador "muito alto", o nível mais alto da escala. Só uma escola tem índice "alto", e quatro não tiveram o indicador divulgado pelo Inep.

Segundo os especialistas, a renda familiar influencia no rendimento escolar porque os filhos desses pais têm mais acesso a cultura e à educação infantil mais cedo. Esse efeito é visível nos resultados do Enem 2014. Entre as 500 escolas com a maior média aritmética, 84,4% delas têm nível socioeconômico "muito alto". Já a escola de nível socioeconômico "médio" mais bem colocada ficou na 263ª posição. A escola de nível "baixo" mais acima na lista está apenas na colocação número 3.516. Já o melhor colégio entre todos os que têm alunos de nível socioeconômico "muito baixo" obteve a colocação número 12.391, de um total de 15.640.



Nenhum comentário:

Postar um comentário