segunda-feira, 11 de agosto de 2014

COMO INTERPRETAR OS RESULTADOS DOS TESTES DE INTELIGÊNCIA

Muitas pessoas têm me perguntando como interpreter alguns resultados dos testes de inteligências aplicados. A dúvida maior incide sobre o teste de inteligência desenvolvido por RAVEN, chamado de Matrizes Progressivas.

 

Este teste é o teste utilizado para MENSA, que, considera como superdotados os indivíduos que pontuarem acima de 98% no teste de RAVEN.

Entretanto, os especialistas da área da superdotação, consideram como superdotados os que atingirem percentil superior, ou seja, acima do percentil 95%.

As pessoas que se situarem abaixo do percentil 95% não podem ser consideradas superdotadas, mas, de certo, são muito inteligentes.

Já em relação aos testes de inteligência denominado WISC ou WAISS, que é um teste mais completo, mais preciso e que avaliar mais áreas, habilidades e fatores de inteligência, é considerado como superdotado a pessoa que pontuar neste teste acima de 130, para o QI total.

Interpretação dos Resultados

A interpretação dos resultados é feita através de uma escala percentílica, entre 1 e 99, cujo valor médio é o percentil 50.

 O valor do percentil revela a posição do indivíduo em relação aos elementos do grupo onde está inserido;

 O percentil pode indicar também o grau de desenvolvimento intelectual.

Classificação Descrição

Grau I - Muito superior - Capacidade intelectual muito superior:  • percentil igual ou maior que 95 (é aqui se situam os superdotados).

Grau II - Superior - Capacidade intelectual superior à média: • percentil igual ou superior a 75

• Grau II + - o percentil entre 90-94 (não é indicativo de superdotação).

Grau III Médio Capacidade intelectual média: • percentil entre 25 e 75.

• Grau III + percentil entre 50-75.

• Grau III - percentil entre 25-50.   

Grau IV - Inferior Capacidade intelectual - inferior à média:  • percentil igual ou inferior a 25.

• Grau IV – •        percentil igual ou inferior a 10.

Grau V - Muito inferior - Capacidade intelectual muito inferior: • percentil igual ou inferior a 5.



Interpretação dos Resultados (Raven, et al. 2009)


Evidentemente, outros testes e critérios deverão ser aplicados pelo profissional (psicólogo com conhecimento na área da superdotação ou educação, psicopedagogo com formação em psicologia ou neuropsicólogo) que fará a avaliação de eventual altas habilidades / superdotação de seu paciente, bem como pela apuração e análise do comportamento e características apresentadas pelo paciente, que irão demonstrar o seu potencial cognitivo ; aplicação de testes de criatividade e de personalidade, para que o profissional possa elaborar um laudo detalhado e mais preciso. O teste de inteligência não deve ser o único critério para se utilizar em avaliação para averiguação de superdotação ou problemas de aprendizagem. 

2 comentários:

  1. Meu filho de 6 anos fez o teste de Raven na escola e obteve percentil de 97 e minha filha fez também com a mesma idade e obteve 99. Ela foi selecionada para o programa de incentivo à talentos no colégio e ele não, porque disseram que ele tinha que ter 99 pontos. Essa mesma escola já segurou ele 1 ano por causa da data corte ( ele faz aniversário em agosto). Achei completamente injusta a avaliação dele, pois é a inteligência acima da media dele é notada por todos, independente de qualquer teste. Como devo proceder com relação à Isso? Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual escola você se refere ? O Objetivo e o Projeto do POIT. Veja, o Raven nem mais é considerado um teste para apuração de superdotação. Além de defasado, ele está com parecer desfavorável pelo CRP e só é válido até abril deste ano. Depois, não poderá nem mais ser aplicado. Para pensarmos em superdotação, temos que pensar no teste de inteligência chamado WISC IV, com parecer favorável pelo CRP e que avalia bem mais habilidades do que somente as habilidades lógico abstratas avaliadas pelo Raven. Se a escola segue um padrão para que o aluno participe do programa de incentivo ao talento, ele deve ser seguido. Mas, se estivermos falando do POIT do Objetivo, providencie uma avaliação com uma neuropsicóloga e aplicação do WISC IV e, se seu filho obtiver QI total acima de 130 pontos, você leva o teste para a escola e conversa com eles, para que ele possa participar do tal programa. Em relação ao fato do seu filho estar atrasado por conta da data de corte, se ele estiver sendo prejudicado, você pode pensar numa ação judicial, neste sentido. Eu atuo fortemente, nesta área, e posso orientá-la a respeito do avanço judicial de série por data corte. Se tiver interesse, me escreva : claudiahakim@uol.com.br

      Excluir