sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Quem são os alunos superdotados de baixo desempenho (underachievers) ?






TESE de DOUTORADO de Vanessa Terezinha Alves Tentes Ourofino da Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia (Superdotados e Superdotados Underachievers  : Um estudo comparativo das características pessoais, familiares e escolares)



Segundo a TESE DA Vanessa Alves Tentes Ourofino, ela selecionou um grupo composto de 96 alunos superdotados, dos quais 53 eram meramente superdotados e 43 superdotados underachievers (de desempenho baixo). Ou seja, quase metade dos superdotados e não a cada 3 SD 2 são abaixo do desempenho.



 Estes alunos pesquisados faziam parte de um atendimento educacional especialiizado para alunos com altas habilidades/ superdotação. Foram empregados testes pscicométricos de inteligência não verbal, de pensamento criativo verbal e figurativo, e de desempenho acadêmico, bem como aplicadas as escalas de características pessoais, acadêmicas e motivacionais, estilos de aprendizagem, autoconceito e atitudes parentais.



Ourofino (Superdotados e Superdotados Underachievers : Um estudo comparativo das características pessoais, familiares e escolares) dividiu dentre os grupos dos alunos superdotados, que estavam sendo atendidos por um atendimento educacional especializado em Brasília, alunos superdotados e alunos superdotados com baixo desempenho. Quando ela menciona, na pesquisa os superdotados, são aqueles que não têm baixo desempenho.



Vejam que interessante, que ela nos coloca na sua tese : "As limitações para identificar os estudantes underarchievers como mais vulneráveis a problemas emocionais e sociais, em comparação aos estudantes superdotados, têm sido uma preocupaçao constante nos estudos de Reis e McCoach (2.000). Asd autoras levantam as hipóteses de que a obstância (dificuldade, tive que procurar no dicionário o que significava esta palavra.. he he) para se automotivar presente na condição unerachievement favorece o desempenho aquém do esperadom e que este fato representaria uma das possíveis respostas a um currículo escolar conflitante com o alto potencial do aluno.



PROPOR ESTRATÉGIAS INTERVENTIVAS que possam reverter as dificuldades que levam ä condição de baixa performance.



Entre os fatores que parecem influenciar negativamente estão aqueles vinculados tanto ao próprio indivíduo como motivação, autoconceito, personalidade, chamados de fatores internos ou intrínsecos, quanto aos fatores externos ou extrínsecos associados ás práticas educativas inadequadas vivenciadas principalmente no contexto da família e da escola. Alencar e Fleith ressaltam a importância da interação do indivíduo com seu ambiente, incluindo fatores de natureza afetiva. Fleith acrescenta que "a família , tanto quanto a escola, em sido reconhecida como uma dimensão crítica e essencial no desenvolvimento de talentos".



Aventa-se que os underachievers, de modo geral, tem dificuldade para enfrentarem os conflitos e as influencias que se apresentam em conseuquëncias de tais fatores. As pesquisas nesse campo ressaltam a noção de que esse fenômeno é multimensional e, portanto, não seria apenas como um atributo do indivíduo, mas, sim resultado da interação deste com seu meio, incluindo a influencia de fatores internos e externos ao indivíduo, a exemplo do que constata o fenômeno da superdotação e nas produções criativas de mais alto nível, tão bem explicados por diversos estudiosos (Alencar e Fleith, Colangelo, Renzulli, Silverman e Winner).



SD UA do tipo DIVERGENTE : Altamente criativo, questionador e com humor sarcástico. Não conformista com o sistema escolar. Suas interações sociais quase sempre envolvem conflitos. Revela frustração exarcebada e o autoconceito tende a ser negativo. Apresenta risco de evasão escolar e problemas de conduta, caso uma intervenção apropriada não seja feita durante a infância e / ou adolesc6encia. Esse é o tipo de superdotado menos indicado para programas de atendimento.



SD UA do tipo DESISTENTE OU EVADIDO : Revela autoestima muito baixa, dificuldades de adaptação e falta de motivação. Frequentemente abandona a escola por não ser atendido em suas necessidades. Possui história de rejeição, age de maneira depressiva, agressiva ou defensiva. Não se interessa por atividades do currículo regular.



POTENCIAL OCULTO OU ENCOBERTO : Geralmente, são alunos de ensino médio que não tiveram seu potencial superior descoberto durante o ensino fundamental. Tais alunos crescem sem ter seu potencial identificado, ainda nos anos escolares. Existe uma tendência de que suas habilidades apareçam duante o ensino médio ou superior.



DUPLAMENTE EXCEPCIONAL : Possui uma segunda condição de desenvolvimento associada á superdotação, geralmente Transtorno de Déficit de Atenção/ Hiperatividade, Dislexia, Sindrome de Asperger. Apresenta sintomas de estresse, podendo sentir-se desencorajado, frustrado, rejeitado, negligenciado e isolado no contexto escolar e familiar.



Para ser considerado superdotado underachievers o indivíduo deve atender a quatro dimensões na avaliação : exibir alto potencial cognitivo em testes padronizados, demonstrar baixa performance acadêmica, ou seja, desempenho incompatível com o potencial revelado ; apresentar rendimento acadêmico inferior ou ter enfrentado obstáculos no transcurso de seu desenvolvimento escolar, e se descrito por seus professores e mentores como superdotado com baixo desempenho ou baixa performance acadêmica.




Montgomery defende que o termo superdotado underachiever só deverá ser empregado quando comprovadamente o indivíduo apresentar DISCREPÂNCIAS reais entre o POTENCIAL ESTIMADO e a PRODUTIVIDADE ATUAL. A autora realta que ot ermo é geralmente utilizado para se referir äs dificuldades comportamentais, hiperatividade, atençào reduzida e falta de perseverança para completar as tarefas, denunciando uma forma limitada de compreensão do complexo fenômeno da baixa performance. (Mas, atente para o fato de que este aluno já foi avaliado e foi constatado que ele tem alto potencial cognitivo e a falta de perseverança e motivação deve-se a fatores que podem ser trabalhados, não que eles não existam. O aluno, uma vez atendidas as suas necessidades educacionais e emocionais, afetivas, sociais apresentará motivação e persevarança...)



O superdotado underachiever é descrito por Rimm como um indivíduo sensível äs limitações impostas pelo contexto social, cujas condições inadequadas interferem negativamente no desenvolvimento de seus talentos. Por esse motivo, essa autora considera que a característica mais marcante do underachiever é a BAIXA AUTOESTIMA. Esta característica controla a vida do indivíduo impedindo a realização e interferindo na qualidade dos resultados obtidos.  Rimm concebe o grupo de alunos superdotados em duas perspectivas, os que são produtivos, adaptados e que demonstram satisfação com sua condição de superdotado e os underachievers que, por outro lado, demonstram grande insatisfação consigo próprio e com o ambiente no qual estão inseridos.



As diferenças cogitadas por Rim  demonstram que o grupo underachievers exibe características diversificadas associadas tanto a um estado psicológico de conformação quanto não conformação diante da baixa performance acadêmica. Para cada um dos estados, podem-se agregar atitudes mais passivas ou mais dominadoras em função da constituição pessoal e personológica de cada indivíduo. Assim, os que revelam características de conformação dependente à condição underachieverment tendem a reagir de modo mais submisso em relação aos pais, professores e pares, demonstrando passividade, perfeccionismo e dificuldade de atenção.






No grupo underachievers conformados dominadores há aqueles que reagem com atitudes impositivas revelando hostilidade nas relações sociais e necessidade de imprimir uma falsa aparência de bom aluno. Já os underachievers não conformados dependentes revelam um perfil mais retraído, com timidez e tristeza excessivas, aparência frágil, que evolui para um quadro sugestivo de estado depressivo.



Entre os superdotados underachievers não conformados é possível encontrar também alunos que possuem um perfil mais dominador e são manipulativos, com grande excitabilidade psicomotora, rebeldes, tirânicos, ameaçadores e opositores desafiantes. No entanto, se juntam, ainda, a esse grupo os indivíduos que se expressam por pensamento divergente, o que requer cautela dos especialistas, uma vez que essa forma de expressão é uma característica importante no processo criativo.




Emerge dos trabalhos de pesquisa revistas uma infinidade de características de superdotados underachievers. Como características positivas são reveladas a capacidade de inventar e criar com originalidade QUANDO motivados, perseverança em tópicos de interesse, rapidez para aprender conceitos novos, facilidade para resolver problemas e desafios, questionamentos aprofundados sobre vários assuntos. Essas características são similares as dos superdotados de modo geral. No entanto, os underachievers demonstram dificuldade para manter qualitativamente essas características e utilizá-las de forma eficaz em favor de sua produtividade, autorrealização e de seu sucesso acadêmico. Como indicadores da baixa performance acadêmica estão o tédio, os conflitos cosntantes com pares e professores, a baixa auto estima, a incapacidade para generalizar e aplicar sus conhecimentos e o baixo rendimento escolar.



Os indicadores da baixa performance acadêmica de indivíduos superdotados foram organizados por Montgomery, de modo a facilitar a identificação de superdotados underachievers. Tais incidadores e os tipos de underachieveres são descritos na Tabela 2. Estes indivíduos certamente não exibirão todas estas características simultaneamente, mas tenderão a revelar pelo menos uma delas em caráter persistente, mascarando o real potencial.





Um comentário:

  1. Reconheci meu filho na definição de underachiever. Desmotivado, deprimido, muito tímido, triste, baixa auto-estima, superdotado com baixo rendimento escolar... que devo fazer???

    ResponderExcluir