sexta-feira, 15 de abril de 2011

Dica de escola que acolhe criança superdotada

Hoje eu tive contato com a dona de uma escola chamada Centro Educacional Recriar Cores e Formas, do Sistema Objetivo, da Cidade de Rincão, para tratar de uma divergência jurídica decorrente da aceleração de série de uma aluna da escola e a parabenizei, pois a escola não só reconheceu e identificou as altas habilidades em mais de um aluno, como já propôs a aceleração de série, como medida pedagógica, para aqueles que entendem necessária.

Também fiquei sensibilizada, com o carinho com que a dona da escola falou da aluna em questão. Ela se referia à aluna, como perfeita. A aluna que todo professor quer ter.

Depois de nossa conversa, ficou esclarecida a questão que motivou a minha ligação, a pedido da mãe da referida aluna e tudo ficou bem resolvido.

Por isto é que eu faço questão de comunicar às pessoas que moram perto da cidade de Rincão, que existe uma escola particular que acolhe e atende as crianças portadoras de altas habilidades.

12 comentários:

  1. O nosso desejo é que todas as escolas se sensibilizem e respeitem essas crianças. Parabéns a esta escola que seja exemplo para tantas outras.

    ResponderExcluir
  2. tenho 30 anos, sou formada em Fonoaudiologia há 9 anos e trabalho somente com crianças especiais porém jamais estudei ou atendi alguma criança com altas habilidades.
    Tenho 1 filho de 6 anos e 9 meses ( DN: 29/08/2004) que cursa o 2º ano ( antiga 1ª série) numa escola particular. Ele está alfabetizado desde os 4 anos, porem nunca notei que se tratava de algo diferente, visto que hoje em dia as crianças nascem cada vez mais “espertas”, porém no ano passado recebi inúmeras queixas de comportamento, em relação ao meu filho pois terminava a lição muito rápido e “atrapalhava” os amigos que ainda estavam fazendo. Esse ano na reunião de 1º bimestre, literalmente, entrei em PÂNICO quando a professora disse que a maioria dos alunos ainda não lêem, não realizam contas simples de adição e pensei, meu filho faz contas de cabeça com centenas, le desde os 4 anos, faz as lições de casa muito rápido e nunca precisa de auxilio, enfim, pensei: Meu filho é diferente ou as outras crianças são mais lentas? Procurei ajuda na escola ( já que meu filho estuda lá desde os 5 meses, então confio no coordenador e proprietária para me ampararem numa duvida), porém eles simplesmente falaram que ele é esperto e mais nada. Depois disso sugeri uma prova de reclassificação , pois meu medo era que meu filho, estudando numa classe onde as crianças estão tão distantes do nível de conhecimento dele, desmotive- o fazendo assim ele só atrapalhar as aulas , entre outras coisas. A prova foi dada muito a contra gosto, para minha surpresa da seguinte maneira: Ele fará a prova do 1º bimestre do 3º ano, não é necessário estudar e veremos se ele passa ou não- frase da dona da escola.; me “enrolaram 3 semanas até dizerem que ele não estava apto e quis ver as provas. O parecer do coordenador foi que ele só estaria apto em matemática e inglês. Não concordei e fui conversar com o coordenador, que ate o momento achei que poderia me ajudar. Triste ingenuidade minha como mãe. Sofri tudo que ouço há 7 anos de prefeitura de relatos de pais dos meus pacientes. Simplesmente ele disse que sabia que meu filho era capaz de cursar 1 ano a frente , mas que não concordava pois isso iria causar um “problema” na escola e eles não queriam isso, já que se ele passasse para outro ano outras mães iriam questionar e eles não queriam problemas. Foi totalmente anti ético inúmeras vezes, sugerindo eu fazer um trabalho inverso com meu filho, para ele “regredir” e resumindo mandou eu me virar com a delegacia de ensino, que fica em outra cidade e procurar meus direitos como mãe, mas tudo na delegacia de ensino e não na escola que achei que no mínimo respeitasse meu filho. Enfim, procurei um psicólogo que atua na área educacional e contei a historia, pois não sabia se meu filho era só esperto ou algo mais. Ele sugeriu um teste chamado wisc, no qual ele apresentou 195 .
    Estou sem saber o que fazer. Se exijo da escola a reclassificação, se mudo de escola, enfim, espero que você possa me orientar.

    ResponderExcluir
  3. Tatiana. Primeiramente você precisa levar o seu filho, para fazer uma avaliação com uma profissional especializada em altas habilidades.

    Não basta somente ser psicóloga. É necessário que o profissional tenha especialização nesta área, que é bem específica. A psicóloga fez um laudo atestando a superdotação dele e também o lado emocional ?

    Hj em dia, para se constatar a superdotação, não se levam em conta tão somente exames de testagem de QI, mas, outros testes, mas, principalmente os comportamentais. Um bom laudo garantirá os direitos educacionais de seu filho. Esta avaliação compreenderá não só o aspecto intelectual de seu filho, mas, também o emocional dele. A partir do resultado desta avaliação, será feito um laudo, que conterá um parecer sobre a condição da seu filho e qual proposta pedagógica deverá ser adotada, no caso dele. Isto porque, existem algumas soluções pedagógicas, existentes para as crianças superdotadas e previstas na lei de diretrizes básicas, sendo que as mais usuais são o enriquecimento escolas ; a aceleração de série ; a frequência em alguns Núcleos de Altas Habilidades (Núcleos estes que não existem em São Paulo, ainda, infelizmente) e, ainda, o estímulo através de atividades extra curriculares a serem oferecidas pelos pais, ou até mesmo pela própria escola, em que a criança frequenta, dependendo do caso ...

    De onde vc é ? Posso lhe indicar um profissional que faça este laudo prá vc. Uma vez constatada a superdotação dele, e a profissional indicando qual é a melhor proposta pedagógica (inclusive, se for o caso mudá-lo de escola...para uma que o reconheça como superdotado e queira trabalhar as necessidades educacionais dele)...


    A avaliação no caso do seu filho é imprescindível, para que você possa conduzir a educação dela de uma forma diferenciada e munida de um documento que lhe dê respaldo legal, para tanto, tal como a lei de diretrizes básicas lhe permite.

    Para que vc exija uma reclassificação de série, vc tem que ter um documento que defina a condição dele de superdotado e, aí sim, terá mecanismos para lutar pela sua reclassificação, se o profissional que o avaliar, entender que esta é a melhor proposta pedagógica a ser adotada no caso dele. E, se for assim, nem é necessário pedir autorização para a delegacia de ensino, pois a escolas particulares têm autonomia para proceder à aceleração de série, se isto estiver previsto em seu Regulamento Interno.. Uma vez vc tendo este laudo em mãos, sugiro que explique ao diretor os direitos de seu filho, previstos na lei de diretrizes básicas da educação (se quiser, eu posso conversar com ele, pessoalmente, por e-mail ou até mesmo por telefone, como já fiz em outras situações e que resolvi com êxito). De fato, existe, mesmo, ainda, uma resistência muito grande, pelas próprias escolas e seu corpo diretivo em reconhecer a condição das crianças superdotadas, porque, infelizmente, eles associam, erroneamente, superdotação à genialidade... Não sabem que a superdotação, nada mais é do que uma simples facilidade da criança em aprender, associada à uma boa dose de criatividade e envolvimento com a tarefa...uma pena !


    Havendo alguma dúvida jurídica ou acerca da questão educacional e forma de se relacionar com o seu filho, você pode, me contatar.


    Atenciosamente,

    Claudia Hakim

    ResponderExcluir
  4. Estou com esse, digamos problema... Meu filho de 4 anos e 9 meses está com problemas em sua escola por ser muito para frente, e mediante a falta de interesse, outro dia fomos chamados para trazê-lo de volta para casa porque ele só atrapalhava a aula...
    Existe alguma escola particular ou pública que atenda crianças assim.

    ResponderExcluir
  5. Tereza,

    Amanhã, eu vou trazer um post que fala sobre duas escolas inclusivas na área da superdotação. Uma de Brasília e a outra, em Santos. De regra, não existem escolas especiais para crianças superdotadas. O que existe são escolas inclusivas ou abertas à esta questão. O importante é, mesmo que a escola não saiba como lidar com o assunto, que ela se mostre interessada em atender as necessidades de seu filho. Ele já foi avaliado ?

    Se ele,ainda,não foi avaliado, sugiro que, o primeiro passo a vocês darem, é ele fazer uma avaliação. Aqui em SP, sugiro a equipe da Dra. Christina Cupertino. Entre em contato com ela, através do e-mail : christinacupertino@gmail.com. Ela coordena uma equipe de psicólogas, que fazem avaliação na criança orientação para seus familiares, de acordo com o resultado desta avaliação.

    Uma vez feita a avaliação, vc leva o laudo, que é um documento que a avaliadora irá lhe entregar, para conversar com a escola, num intuito de formar com a escola uma parceria. Nunca bata de frente com a escola.

    Se, mesmo depois de feito o laudo, vc sentir que, por parte da escola não há vontade de se formar esta parceria entre pais e escola, é a hora de mudá-lo de escola.

    Pode até acontecer dos indivíduos superdotados se sentirem entediados e adotarem comportamentos hiperativos, por conta do tédio, ou de outros fatores ligados à sua superdotação. Mas, também pode acontecer de que aquele mau comportamento não seja resultado de uma superdotação ou falta de estímulo. Isto a avaliação também irá averiguar.

    ResponderExcluir
  6. Oi, meu filho tem 5 anos e meio e já faz contas de centenas (tipo 453+725) de cabeça, lê e escreve, sabe fazer conta de horas (tipo 17:46 + 25 minutos dá 18:11), e se interessa sobre coisas de forma aprofundada (a terra, os planetas, a gravidade, etc). Vale a pena fazer uma avaliação ou as crianças de hoje estão assim mesmo?

    ResponderExcluir
  7. No seu caso, vale, sim a pena. Me diga de onde vc é, que eu te indico um especialista.

    ResponderExcluir
  8. Claudia,
    Meu filho começou a ler com dois anos e meio e com três já estava escrevendo...Foi um processo muito rápido e que trouxe junto vários problemas...Ele nunca foi avaliado, embora tenha pensado nisso algumas vezes. Hoje ele está com 06 anos, já passou por três escolas, aprende tudo muito rápido e muitas vezes sozinho, toca violão e não tem qualquer dificuldade na escola (o problema é sempre o comportamento e a agitação que em parte decorrem da falta de dificuldades...) Sempre tive muito medo da aceleração na escola, por conta da maturidade. Não sei se ele seria bem recebido no meio de crianças maiores. Mas a falta de desafios também poder ser um problema. A avaliação é importante nesse caso? Será que você pode me indicar um especialista em São Paulo Capital? Existe uma escola em São Paulo preparada para lidar com esses casos? Obrigada. Abs.

    ResponderExcluir
  9. Vanessa. A avaliação, no caso do seu filho, é mais do que necessária, eu diria que ela é imprescindível. Entre em contato com a Dra. Christina Cupertino no seguinte e-mail : christinacupertino@gmail.com. Ela está de férias, até o final deste mês. Se ela não te responder, tente, novamente em agosto. Ela coordena uma equipe de especialistas que faz avaliação em crianças, para detectar se a criança apresenta superdotação, em qual área, e , principalmente, como está o emocional desta criança. Vc tem razão em pensar em como seria a possibilidade dele conviver com crianças mais velhas e as perdas que ele terá com isto. Resta saber se os ganhos com os estímulos que uma aceleração de série oferece, serão maiores do que as eventuais e, não necessariamente possíveis, perdas emocionais. Mas,isto tudo a avaliação irá definir e lhe orientar. Por isto é que eu a considero imprescindível. Em São Paulo, tem o Colégio Objetivo, não sei bem qual unidade, que tem o POIT, que é um programa para crianças superdotadas, que o frequentam no contra turno da escola. Este programa oferece várias atividades especiais para estas crianças, e que visam desenvolver as suas habilidades.

    Qualquer coisa, me escreva : claudiahakim@uol.com.br

    ResponderExcluir
  10. Bom dia, meu filho tem 4 anos, 6 meses de idade, já sabe ler como uma criança de 2ªsérie do primário, sabe ler números e começou a resolver expressões numéricas simples: 4+..=8
    Joga video game, mario sonic, burnout, já fechou-os e usa um computador como crianças de 10 a 12 anos.Não ganho dele mais no dominó e presta muita atenção no que explicamos. Sinto uma certa deficiencia no seu andar, ou jogar bola mas quando o assunto é intelectual ele é todo ouvidos. quero saber como agir, pois pra escola (jardim 2) ele não está motivado e chora quando vai - antes não chorava. tento freá-lo pois está muito além dos amiguinhos da sala mas não consigo. Detalhe, é extremamente educado e calmo, não gosta de chitos e cocacola. ´Será como que devemos agir. Sou de curitiba-pr, conhece alguem aqui que possa nos ajudar??? gruvinski@smop.curitiba.pr.gov.br

    ResponderExcluir
  11. Sei, sim, Gruvinski. Vc tem sorte de estar no melhor lugar do Brasil para se ter um filho superdotado, que é Curitiba !

    Em Curitiba, procure a Maria Lúcia Sabatella do INODAP. Ela lhe explica como se faz e quanto custa e quanto tempo demora a avaliação para detectar, entre outras coisas, a superdotação.

    Fone do INODAP : (41) 3343 3448

    inodap@inodap.org.br ou indoap@inodap.com.br ou mlstll@hotmail.com

    Av. Batel 1.230 , cj. 008

    Vou escrever para a Maria Lúcia contando sobre o seu caso e dizendo que vc entrará em contato com ela, ok ?

    A avaliação servirá para indicar quais necessidades e habilidades seu filho tem e quais propostas pedagógicas e psicológicas poderão ser adotadas, no caso dele.

    Depois, me conte como estão indo as coisas.

    Se quiser, venha participar do nosso grupo de pais de crianças superdotadas, no faceboook, que leva o mesmo nome do meu blog (Mae de Crianças Superdotadas). Se vc tiver conta no facebook, é só me chamar e pedir para eu te adicionar no grupo, ok ?

    Atenciosamente,

    Claudia Hakim

    ResponderExcluir
  12. ola, tenho um filho de 2 ano e 2 meses, ele conhece todas as letras do alfabeto e sabe contar até 35, conhece as formas e as cores primarias e algumas secundarias! as pessoas que convivem com ele consegue perceber que ele é uma criança diferente das outras crianças! ele é bem agitado, mas tem um poder de concentraçao muito grande des dos 3 meses de idade. será que isso poderia ser um sinal de criança superdotado? sera que consiguiriamos já saber para ajudar a estimula-lo? por favor me respodam! grata! iasmin vercelino de assis! iasminvercelino@hotmail.com

    ResponderExcluir