sexta-feira, 9 de junho de 2017

Vamos falar um pouco sobre as características emocionais dos superdotados?


Foto: Reprodução FamilyEducation


Características Emocionais do Superdotados

  
Yolanda Benita (2007) elenca algumas características emocionais dos comportamentos dos superdotados e a Webb (1993) traz alguns atributos que são comuns entre eles, sugerindo que estes indivíduos experienciam mais frequentemente problemas de ordem social e emocional (atenção, não confundir problemas de ordem social e emocional com DIFICULDADES de ordem social e emocional que já podem representar algum tipo de transtorno do tipo TDAH, TODO ou Asperger).


Segundo ele Webb (1993), a combinação de algumas das características a seguir é que podem resultar num padrão problemático de comportamento:

– Dificuldades na escolha dos pares sociais;

– Hipersensibilidade;

– Dificuldade de se adaptar à forma de pensar dos demais;

– Arguidor (discutidor);

– Pouco cooperativo (não gosta de delegar, nem de ser delegado);

– Resistente à autoridade (lembrando que todo padrão problemático de comportamento deve ser trabalhado em terapia e o terapeuta deverá saber diferenciar o que representa um padrão problemático de comportamento de dificuldades reais de comportamento que podem representar algum tipo de transtorno do comportamento ou desenvolvimento).

A ideia de perfeição absoluta, de sucesso incondicional dos superdotados, reforça os modelos de Einsteins e Newtons. Porém, em relação à escolha profissional existe uma pressão, para que sigam determinadas carreiras mais valorizadas socialmente. Segundo Colangelo (1991), estas pressões podem dificultar a este aluno a “seguir o seu coração” na escolha profissional, podendo surgir oposição da própria família, que não deseja ver o filho desperdiçar o talento em áreas tidas como de menor prestígio.

Ourofino (2005) faz referências a esta questão ao observar que características – como alto nível de energia, menor necessidade de sono, devaneio criativo e elevada excitabilidade – são equivocadamente avaliadas como sendo déficit de atenção e hiperatividade, obscurecendo características positivas relacionadas a superdotação.

Nem todos os indivíduos superdotados apresentam as mesmas características de desenvolvimento e comportamento, mas, embora apresentem um perfil heterogêneo, algumas características são evidenciadas.

Winner (1998) destaca algumas delas: preferência por novos arranjos visuais; desenvolvimento físico precoce (sentar, engatinhar e caminhar); maior tempo de atenção e vigilância, reconhecendo desde cedo seus cuidadores; precocidade na aquisição da linguagem e conhecimento verbal; curiosidade intelectual, com elaboração de perguntas em nível mais avançado e persistência para alcançar a informação desejada; aprendizagem rápida com instrução mínima ; Super-reatividade e sensibilidade; alto nível de energia que pode ser confundido com hipercinesia ou hiperatividade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário