segunda-feira, 5 de maio de 2014

Seu filho apresenta muitos tiques ? Saiba que ele pode ser portador da Síndrome de Tourette e que esta Síndrome tem tratamento !


Fonte : http://www.mentalhelp.com/tourette.htm

Hoje resolvi falar de algo que não tem nada a ver com superdotação. Mas, como Pós graduanda de neurociência, que agora sou, e como mãe, e sendo blogueira da área da Educação, achei muito importante divulgar esta Síndrome, para que, quem sabe, eu possa, com este meu simples post, ajudar pais que estejam passando por esta situação com seus filhos, em busca de informações :

Síndrome de Tourette é uma doença psiquiátrica/neurológica que começa geralmente na infância ou adolescência e se caracteriza por tiques, que podem ser:

·      Motores: repuxar a cabeça, entortar o pescoço. piscar, fazer caretas, pular, tocar pessoas ou coisas, esfregar o dedo no mesmo ponto das roupas, cheirar, retorcer-se. Bem mais raramente, se machucar ou se morder.

·      Sonoros (tiques vocais): limpar a garganta, pigarrear, tossir, grunhir, estalar a língua, fungar, suspirar.

·      Soltar frases fora de contexto.

·      A coprolalia (falar palavrões ou obscenidades) e a Copropraxia (gestos obscenos) são bem raras.


Os pacientes de Tourette não costumam ter todos esses sintomas, só alguns.

A pessoa consegue controlar os tiques por algum tempo, mas eles voltam num acesso bem forte em seguida.

A maioria dos pacientes sofrem só da Tourette, mas alguns podem ter comorbidade (mais um transtorno psiquiátrico associado), por exemplo com:

·      TOC (por exemplo tocar um objeto com uma mão e depois com a outra para que "as coisas fiquem iguais")

·      TDAH ou TDA ou DDA

·      Depressão

·      Fobia Social

·      Tricotilomania

O diagnóstico é exclusivamente clínico. Todos os exames de imagem e laboratório são normais e nenhum caracteriza a Tourette.

Adultos em geral vêem ao consultório por outros motivos (TOC, TDAH, Depressão) e o médico percebe os tiques, que para o paciente eram algo normal na vida.

Evolução:

Crianças com Tourette tem inteligência normal e maior probabilidade de serem hiperativas ou desatentas (Transtorno do Déficit de Atenção com ou sem Hiperatividade), mas o principal problema enfrentado por elas é o estigma causado pelos tiques.

Sabemos que as crianças costumam ser implacáveis com aquelas que são "diferentes do cardume". O estigma causado pela Tourette pode provocar seqüelas na auto-estima, ansiedade, insônia, diminuição do rendimento escolar, timidez, etc.

Com a idade os tique costumam diminuir de variedade e intensidade.

Tratamento:

Quase todos os tiques quase sempre podem ser completamente controlados com medicação.

Quanto mais cedo se trata melhor, principalmente para evitar que a criança seja estigmatizada.

A Terapia Cognitivo Comportamental ou TCC pode ajudar a relaxar e até mesmo tentar trocar um tique por outro socialmente mais aceitável e é claro que medidas de apoio emocional e reforço escolar para essas crianças são muito bem vindas, por exemplo, se uma criança numa situação estressante de prova tem acessos de tique que atrasem as respostas, por que não dar um tempo mais longo ou mesmo deixar que faça a prova numa sala separada ?

O principal tratamento para crianças e adultos é medicamentoso. Não tem sentido alguém sofrer de Tourette quando existem vários tratamentos disponíveis, todos eles muito simples. Não quer dizer que todos os remédios existentes funcionem para todo mundo. Às vezes se faz várias tentativas até uma acertar.

Causas:

Na maioria dos pacientes a causa é desconhecida.
Uma coisa é certa, Tourette não tem causa "psicológica", por mais que piore com a ansiedade.

Muitos casos têm origem em repetidas faringites e amigdalites causadas por Estreptococos na infância.

Caso haja suspeita de que o seu filho apresenta esta Síndrome, procure um neuropediatra, para melhor orientação, avaliação, diagnóstico e tratamento.

Assistam a este vídeo, abaixo, que explica muito bem a Síndrome e retrata a vida de um jovem que a vivencia e como ele lida com ela :
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário