sábado, 31 de maio de 2014

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE ASPERGER PARA SUPERDOTAÇÃO


A pessoa afetada pela Síndrome de Asperger está em nosso mundo, porém vivendo em sua estrita forma de ser. Entre as diferenças fundamentais estão, por parte da Síndrome de Asperger e o Transtorno do Espectro do Autismo de Alto Funcionamento sem Asperger estão o QI total normal ou superior, o QI Verbal mais alto, sem atraso na fala e no uso do pronome “Eu”, fala preciosa e até “erudita”, dá a impressão de ser um “adulto no corpo de uma criançae/ou de superdotação intelectual, interesses extracurriculares específicos e transitórios, performance escolar desarmônica, pais com quadro similar, busca para diagnóstico com psiquiatra a partir dos 6 anos.

Os superdotados intelectualmente, sem TEA  (Transtorno do Espectro do Autismo), não apresentam prejuízos sociais, em si, mas BAIXA TOLERANCIA À LIMITAÇÃO GLOBAL DAS PESSOAS “COMUNS”. Possuem uma verdadeira erudição e conseguem generalizar os conhecimentos, utilizando-os para seus interesses, que não são restritos. Não há prejuízo na prosódia e entendem precisamente os conceitos das palavras e termos que usam, o que os diferencia da hiperlexia clássica. Essa entidade deve ser considerada como Diagnóstico Diferencial para suspeita de Síndrome de Asperger.

Estes trechos foram extraídos do livro “Fonte : Síndrome de Asperger e outros Transtornos do Espectro do Autismo de Alto Funcionamento : da avaliação ao tratamento”, Autor : Walter Camargos Jr. E colaboradores. Editora ArteSÁ, Belo Horizonte – 2013, que eu mais do que recomendo. O livro é muito bom e esclarecedor e contém muito mais informações, dicas de livros sobre a Síndrome de Asperger em meninas, orientações, esclarecimentos. Vale à pena comprá-lo !


Nenhum comentário:

Postar um comentário